panteras negras

No dia 20 de novembro, comemoramos o dia da Consciência Negra, no Brasil. Uma homenagem à Zumbi dos Palmares, maior herói do povo negro brasileiro. Porém, os estadunidenses enfrentaram o racismo nas ruas do país no século XX. E um dos grupos mais engajados com a causa foi o Panteras Negras.

Quem já assistiu Everybody Hate Chris lembra do Sr. Omar. O dono da funerária, além dos seus gostos pessoais, possuía um quadro interessante na parede. E que foi tema de uma piada durante o seriado. Um quadro dos Panteras Negras.

O Partido dos Panteras Negras para Autodefesa (Black Panthers Party) foi criado em 1966. Seus fundadores, Huey Newton e Bobby Seale, tinham um objetivo: a defesa do povo negro da opressão policial.

O grupo foi bastante julgado por suas ações. Principalmente pelo uso da violência como forma de ação. Separamos 20 fatos sobre o partido para entender a extensão que ele teve entre os anos 60 e 80 nos EUA.

  1. Como surgiu
  2. Panteras Negras x Polícia
  3. Free Huey
  4. Relação com a mídia
  5. Inimigos poderosos
  6. Panthers Pad
  7. Arte negra
  8. O assassinato de Bobby Hutton
  9. Líder temporário
  10. Pantera 21
  11. Os 10 mandamentos dos Panteras Negras
  12. Crescimento nos EUA
  13. Beleza Negra
  14. Café da manhã gratuito
  15. Messias negro
  16. A força das mulheres negras
  17. Martin Luther King e os Panteras Negras
  18. Partido ao redor do mundo
  19. FBI e terrorismo
  20. Dúvidas e objetivos

Como surgiu

1. O principal objetivo dos Panteras Negras era a defesa do gueto. Durante os anos 60, os embates raciais foram fortíssimos. Até aquele momento, as leis segregacionistas ainda estavam em vigor.

Brancos e negros não podiam frequentar os mesmos espaços, as mesmas escolas e sequer se casar. Haviam aqueles que lutavam de maneira pacífica, como Martin Luther King. E aqueles mais duros e radicais, como Malcolm X.

A repressão policial nos bairros mais pobres também era enorme. E, neste cenário conturbado, Huey Newton e Bobby Seale criaram o partido.

2. Panteras Negras x Polícia

Uma das ações básicas do partido era fiscalizar a ação policial. Com o porte de armas liberado, membros vigiavam as ruas e vielas de Los Angeles.

A ação era para garantir que não haveriam brutalidades nas prisões nos guetos. O que tornava o relacionamento entre eles bastante conturbado.

3. Free Huey

Em 67, Huey Newton foi preso. Durante uma blitz, aconteceu um tiroteio, e o policial John Frey foi morto. Huey foi acusado do crime.

Algemado a uma maca, o líder dos Panteras Negras foi mantido sob constante vigilância no hospital. Eldrige Cleaver, que assumiu temporariamente a liderança, inspirou um movimento que tomou as ruas pedindo a libertação de Huey.

4. Relação com a mídia

O partido foi um dos grupos organizados que melhor usou a mídia estadunidense ao seu favor.

Com seus discursos e apelos, conseguiam atrair a atenção de grandes jornais. O que possibilitou um rápido crescimento dos ideais do partido.

5. Inimigos poderosos

Edgar Hoover ex-diretor do FBI, era inimigo declarado dos Panteras Negras. Tanto que criou a operação COINTELPRO.

O objetivo era descredibilizar os movimentos negros dos Estados Unidos. Grampos telefônicos, sabotagens, perseguições. Tudo era válido.

Ainda que houvessem outros alvos, o partido era o mais visado. Das 290 ações da COINTELPRO, 245 foram contra ele.

6. Panthers Pad

Com o crescimento das ações do FBI, os membros do partido precisaram se unir ainda mais. Surgiram os Panthers Pad.

Os dormitórios abrigavam membros receosos em retornar para a casa. Havia um forte esquema de segurança e monitoramento. Isto criou um senso de comunidade maior nos membros.

7. Arte negra

Um dos principais meios de financiamento do grupo era o jornal The Black Panthers.

O impresso era vendido em diversas cidades por US$ 0,25. Parte do arrecadado ia para a impressão; parte para o financiamento das atividades.

O jornal também continha um papel artístico enorme. Obras de arte negra eram resgatadas em suas páginas. O duro cotidiano dos guetos ganhava vida no impresso.

8. O assassinato de Bobby Hutton

Após o assassinato de Martin Luther King, a luta armada foi reforçada. Eldrige Cleaver convocou os membros à luta. Os mais velhos se posicionaram contra a iniciativa. Os mais jovens não.

Depois de uma operação, vários membros foram acuados em um porão pela polícia. Entre eles, Bobby Hutton. Cleaver instruiu que todos tirassem as roupas, para provar que estavam desarmados. Hutton, envergonhado, apenas tirou a camisa.

Ao sair do local, ele foi imediatamente alvejado pelos policiais. Bobby foi um dos primeiros membros dos Panteras Negras a ser morto pelos policiais.

9. Líder temporário

Em 68, os Panteras Negras passaram por um período de anarquia. Huey Newton e Bobby Seale estavam presos. Eldrige Cleaver viajou para a Argélia.

David Hillard, renomado membro do partido, assumiu a liderança. Porém, não permaneceu por muito tempo. Um ano depois, foi condenado por acusações resultantes do caso Hutton.

10. Panther 21

Em 69, 21 dos líderes do partido estavam presos. A sentença somada era de 360 anos. O valor da fiança era astronômico.

Um movimento enorme mobilizou as ruas. Jane Fonda, renomada atriz da época, participou ativamente. E, depois de 13 meses de julgamento, todos foram absolvidos das acusações.

11. Os 10 mandamentos dos Panteras Negras

Junto com os impressos vendidos, além da arte, havia o manifesto do grupo. Estes dez pontos explicavam o que o partido buscava com suas ações.

  • Número um: queremos liberdade;
  • Número dois: queremos emprego completo para nossas pessoas;
  • Número três: nós queremos um fim ao roubo pelo homem branco da comunidade negra;
  • Número quatro: nós queremos habitação; nós queremos abrigo, o mínimo para seres humanos;
  • Número cinco: nós queremos uma educação que ensine nossa verdadeira história e nosso papel no presente dia da sociedade americana;
  • Número seis: nós queremos que todos os homens negros sejam isentos do serviço militar;
  • Número sete: pare o assassinato das pessoas negras;
  • Número oito: queremos que todos os homens negros sejam imediatamente libertados de federais, estaduais, condados, cadeias e penitenciários;
  • Número nove: Nós queremos que tenhamos [um julgamento] em um tribunal de lei, não na rua por algum porco, mas em um tribunal, por um júri de seus pares, conforme especificado pela Constituição dos Estados Unidos da América;
  • Número dez: queremos terra, pão, habitação, educação e roupa.

12. Crescimento nos EUA

O público alvo do partido não eram os frequentadores de igrejas. E sim os negros que sofriam abusos das autoridades policiais estadunidenses.

Depois que os esforços dos Panteras Negras tomaram a mídia, vários negros resolveram se filiar. Sem qualquer processo de triagem. O objetivo era ter o máximo possível de adeptos.

13. Beleza negra

O partido agia fortemente no reforço da beleza negra. Nos anos 60, o tipo de beleza ideal não representava o povo negro.

Cabelos black power, jaquetas de couro e elementos da cultura dos guetos compunham o visual dos filiados.

14. Café da manhã solidário

Antes das crianças negras irem para a escola, os Panteras Negras ofereciam café da manhã gratuitos. Tudo era mantido com fundos do partido.

O programa foi um dos 35 lançados pelo partido. E o mais bem-sucedido. Em média, 20 mil refeições eram servidas por semana.

15. Messias negro

Hoover temia que a imagem de um “messias negro” através do partido fosse propagada. E que brancos se aliassem ao grupo.

E, para isto, valia de tudo. Até infiltrar agentes do FBI. Um deles foi William O’Neal, que atuou como guarda-costas de Fred Hampton, membro importante do partido.

16. A força das mulheres negras

Nos anos 70, a maioria dos filiados era de mulheres negras. Grandes nomes da luta pregada pelos Panteras Negras surgiram através da voz feminina.

Nomes como Kathleen Cleaver e Assata Shakur mobilizaram outras vozes. E combatiam o machismo até mesmo dentro do partido.

17. Martin Luther King e os Panteras Negras

O líder religioso e dono de um dos discursos mais famosos do mundo não era filiado ao partido. Muito pelo contrário. Martin Luther King possuía uma linha de ação diferente: o pacifismo.

Porém, a morte do líder negro mobilizou ações em todo o pais por parte dos Panteras Negras. Para alguns membros, ele era a última chance de um movimento desarmado do partido.

18. Partido ao redor do mundo

Depois do assassinato de Hutton, Eldrige Cleaver fugiu dos EUA. Se mudou para a Argélia, onde montou o diretório internacional.

Com isto, os Panteras Negras mantiveram contato com outros países. Coréia do Norte, Vietnã, outros países africanos. Todos com pensamento alinhado ao do partido.

19. FBI e terrorismo

Como já dissemos, o relacionamento do FBI com o partido não era dos mais amistosos. Tanto que, para o Bureau, os Panteras Negras eram um grupo terrorista.

Hoover considerava o partido como a principal ameaça à democracia americana. O partido acusava o FBI de manipular a força policial para agir com violência nos guetos.

20. Dúvidas e objetivos

Mesmo depois da libertação dos 21 líderes, a opressão continuou. Isto enfraqueceu as relações internas e desencorajou novas filiações.

Aliado a isto, cresceu uma falta de organização nas ações dos Panteras Negras. O que levou ao desarmamento, saída de membros e extinção, em 1982.


Mesmo depois da extinção, o legado dos Panteras Negras continua até hoje. E, no mês da Consciência Negra, é importante conhecer os líderes da luta antirracista. Ainda que nos Estados Unidos.

Escrito por Equipe Fisk